18 de abr de 2008

O meu pequeno caçador...de pipas!

Como prometido, vim relatar se chorei ou não ontem.

Eu já sabia todo o filme. Sabia tudo que aconteceria. Sabia até além do filme, porque ele não exibe a parte mais sofrida da vida do menino Sohrab. Eu li o livro, e amei tudo que li ali. Amei pela intensidade da história. Pela intensidade do amor, da amizade e da infância que são relatadas. Amei.

E agora, a parte que todo mundo quer saber:
Eu choreeeeeeeeeeeeeeeeeei ontem. Chorei. Só. Mas em algum momento dessa história toda, eu me comovi mais que no filme.... e foi no livro. Todos os momentos que mais me fizeram soluçar foram cenas cortadas. E imaginem a gravidade dos acontecimentos: eu solucei ao lê-los.

O filme é bom? Uhum. Não tem como ser ruim com uma história perfeita. Os atores? Nunca vi na frente, o que não tá desqualificando. Deram um show. Arrebentaram, sim! E acredito até que foram melhores que muitos renomados. As imagens, o cenário? Qualidades excelentes.

O melhor de tudo é que o Amir agha é igualzinho ao da minha imaginação. Hassan, não. Se quer saber, ele era até mais bonito no filme do que eu imaginava. Mas digo dessa beleza que o mundo leva, porque a beleza que ninguém nos rouba... ah, como ele é apaixonante!

Fica aqui minha recomendação. Não deixem de ver o filme e, se querem mesmo ter uma história de amor com esse roteiro, leiam o livro. Tenho certeza que não vão se arrepender.

As minhas conclusões sobre essa história? Deixa pra um próximo post porque ela exige muito do meu emocional e, neste momento, eu só ouço meu estômago!

Golinhos ácidos, meus mimos!
.
.
.
.
.
.
.

"- Já menti para você, Amir agha?
De repente, resolvi implicar com ele.
- Sei lá - respondi. - Já?
-Mil vezes comer cocô! - exclamou ele com ar indignado.
- De verdaded? Você faria isso?
Ele me lançou um olhar desconcertado.
- Faria o quê?
-Comer cocô, se eu mandasse - respondi. Sabia que estava sendo cruel, como naquelas vezes em que debochava dele quando não conhecia uma palavra qualquer.[...]
- Se você mandasse, faria, sim - disse ele afinal, olhando bem para o meu rosto. Baixei os olhos. Foi aí que descobri como é difícil olhar diretamente nos olhos das pessoas como Hassan, essas pessoas que dizem sinceramente o que pensam. - Mas fico imaginando... - acrescentou ele. - Será que algum dia você me mandaria fazer uma coisa dessas, Amir agha?"

8 comentários:

Antônio disse...

Bom, vou correr atrás do livro e depois do filme, pra não ser novamente o último a saber das coisas.
Se eu fosse o gurizinho, sacaneava o outro e mandava comer cocô, hehehehehe (risada sarcástica).

Beijão!

.Ná. disse...

Ai, Antônio. Só você mesmo... eu não vou contar o que vem depois dessa pergunta... mas deu pra perceber o jogo de teste? rs
Bjo

Carol Rodrigues disse...

Deu vontade...
E eu nem terminei de ler o livro...

Gostei daqui

... disse...

E eu não sabia o que poderia assistir nesse fim de semana. A recomendação me pareceu ótima! :)

Beijinhos!

Ariana disse...

"Por vc faria isso mil vezes"

Realmente o livro é perfeito!
Não vi o filme ainda, quero ver!rs

Adorei seu blog!

Beijo*

M. disse...

Não vi nem um, nem outro.

Dizem ser muito bom...

=/

Agostinho Lopes disse...

Vim em busca de minha dose diária de soda causticante, com um pouco de guaraná para disfarçar a acidez, e, como sempre, sou bem recompensado.

Já li o livro por duas vezes, porém ainda não vi o filme. Quando estava em cartaz, sempre me propunha a ir e, inconscientemente, arrumava uma desculpa para não ir, talvez por temor que o filme quebrasse o encanto do livro que, em mim, provocou as mesmas sensações que as provocadas em ti. Mas já resolvi que "vou encarar". Como faço em relação a muitos clássicos, vou comprar o DVD para ver sempre que der vontade.

Beijo, bom domingo e feriado!

nica disse...

Todo mundo fala: 'o livro é ótimo, leia!' mas tb dizem que é mt triste.
Por isso não li... =/
Ah, não me arrependo... odeio chorar de tristeza.