31 de dez de 2007

Feliz Ano Velho!

Acabou-se 2007. Que venha 2008.

Hoje é dia de pensar em tudo que passou. Analisar as coisas ruins que aconteceram e pensar num modo de não deixá-las repetir. Agradecer o que de bom foi entregue a nós (e que nós batalhamos pra conquistar), pedir que o próximo ano duplique as realizações.

Hoje é dia de escrever uma lista com os planos pra 2008. (E não colocá-los de lado quando aparecer o primeiro obstáculo).

É hora de sonhar, planejar e acreditar.

Amanhã será hora de colocá-los em prática. Hoje não.

No último dia do ano você não deve ter nada pra resolver. A gente soluciona problemas o ano inteiro. O que puder ser deixado, deixe! Mágoas em 2007? Elas devem ficar em 2007, sem prosseguir.

Em 2008 é hora de ousar novamente, acreditar novamente. Reveja seus conceitos. Sempre existe alguma coisa que pode ser mudada. Tudo dependerá de você!

**************************************************

Dicas de Ano Novo:

Lentilhas: Uma colher de sopa é suficiente para assegurar um ano inteiro de muita fartura à mesa. A origem desta superstição é italiana e foi trazida para o Brasil pelos imigrantes.
Romãs: para atrair dinheiro, coma sete partes, guardando as sementinhas na carteira.
Bagos de uva: para os portugueses, comer 3, 7 ou a quantidade correspondente ao seu número de sorte garante prosperidade e fartura de alimentos. Para garantir dinheiro, guarde as sementes na carteira ou na bolsa, até a troca do próximo Ano - Novo.
Carne de porco (iecath): deve ser o prato principal da ceia, servida à meia-noite. Como o porco fuça pra frente, garante armários cheio o ano todo. Evite peru, que cisca para trás.
Nozes, avelãs, castanhas e tâmaras: estas, trazidas para cá pelos imigrantes de origem árabe, são recomendadas para garantir fartura.

Fonte: Amor Natura Culinária.


28 de dez de 2007

Últimos dias do ano.

Sexta - feira, 28 de dezembro. Eu sei que a data já vem automaticamente no meu post, mas eu queria dar ênfase nela. Eu odeio os últimos dias do ano por que não consigo resolver as coisas que ficaram para ser resolvidas e elas vão sobrar para o ano que seguirá. Na verdade, elas não sobraram, são projetos do próximo ano que eu gostaria de antecipar pra não ter perigo de não dar tempo. Pode isso? Não.
Eu sei que preciso me tratar. Essas síndromes que tenho ultimamente são perigosíssimas para minha saúde mental, eu sei... todo mundo diz. Mas não é loucura, é só um modo de querer abraçar o mundo. É rídiculo dizer que eu gostaria de ganhar o mundo ou então dizer, ainda, que tenho um sonho americano [?], se é que posso chamá-lo de americano realmente.
O pior de tudo é que o ano tá acabando e eu não vejoooooo a hora que ele termine de verdade.
2007 foi bom, mas já deu no saco. ahahah... Preciso renovar minhas esperanças e acho que janeiro vai ser um bom mês pra isso, ou não?
Eu preciso de sol, piscina, regime... QUERIA praia, mas não vai dar em janeiro, me resta aguardar depois do carnaval. E já que não tem chocolate, a gente faz brigadeiro mesmo!
Ah, sim...e eu AINDA não decidi nada sobre o Reveillon. Ando muito mula ultimamente.
Beijos.

26 de dez de 2007

Pós - Natal

Agora o Natal já passou e só nos resta aguardar o Reveillon. Espero que o Natal de vocês tenha sido um dia trazendo esperança de um Ano melhor. Não que 2007 tenha sido péssimo, sempre há momentos tristes, mas eu tenho certeza que os momentos felizes foram maiores e mais marcantes. É... e eu espero que 2008 venha com toda energia boa, que comecemos com o pé direito e sempre sorrindo.
Ah, vou dedicar um post especial pra isso depois, não agora.
Só tô aqui pra dizer que o Papai Noel veio bem gorduxo e, o melhor, durante o ano inteiro. Ano que vem meu Papai Noel vem com uma passagem aérea, com certeza, né, Velhinho?

Gente, hoje tá dificil escrever... não quero ser um 'doce melado' pós Natal, quando todo mundo já comeu e bebeu demais...

Beijos

22 de dez de 2007

Querido Papai Noel,

Eu não sei se te chamar de querido vai ajudá-lo a me atender. Mas não vou ficar inventando moda este ano. O Sr. sabe que eu amo Papai Noel, o que te inclui na lista das coisas em que eu ainda acredito e eu já ficaria contente demais em saber que o Sr. também acredita em mim.

Fica tranquilo, meu Velhinho, não vou pedir que me entregue uma Pajero amarela, nem um porshe pink.
Enquanto escrevia essa carta, eu pensava quais seriam os bens materiais que me fariam feliz neste Natal e não consegui chegar à conclusão nenhuma.

Papai Noel, eu sei que a gente não deve exagerar nos presentes, mas eu vou pedí-los. Se o Sr. não conseguir encontrar um, mande o outro, por favor. Acho que vai ser mais vantajoso para nós dois pois, desta forma, eu não corro o risco de ficar sem presente e frustrada, não é mesmo, Papi?

Velhinho, o mundo anda tão de cabeça pra baixo que eu nem sei por onde começar.
Eu sei que o Sr. não vai conseguir encontrar meu presente em 3 dias, por isso estou disposta a esperar por ele em 2008.

Papis, queria que todas as crianças, de todas as classes sociais, frequentassem a escola e tivessem o que comer. Se isso não for possível, eu me contentaria em saber que os políticos do meus país pararam de ROUBAR o dinheiro do povo sem punição alguma.

Meu gorduchinho de bochechas vermelhas, se TUDO isso ainda não for possível, eu gostaria que o Sr. me mandasse um namorado de presente. Mas não qualquer brinquedinho que pare de funcionar quando a pilha acabar. Tem que usar bateria longa vida, daquelas que duram uns 60 anos, no mínimo. Ah, ele também precisa ser cheiroso. Esse é um requisito básico. Precisa gostar das minhas amigas, de sair comigo, de rock´n roll e gostar de fazer todas as minhas vontades só pra ver um sorriso brotar no meu rosto. E precisa ter SORRISO bonito. Não pode ser daqueles caras marrentos, que querem ter razão o tempo inteiro e também tem que ser convicto. Bem, mas eu também não tenho pressa, tá? Ele não precisa chegar em 2008.

Como o Sr. sabe, eu pretendo viajar em 2009... se ele aparecer antes, vai ser um problema pra mim por que terei de me desfazer do seu presente muito rápido. E, aí, quem vai levar a culpa de ser movida à pilha, serei eu. Ele pode chegar em 2009, Papai... depois que eu "adentrar" a minha nova moradia e tiver conhecendo os lugares. Isso, pode ser em 2009 mesmo, lá aonde eu estiver... por que assim, quem sabe, o seu presente não vem duplicado e, além de um namorado pefeito, eu ganhe um maridinho e um novo país.

Papai Noel, se, ainda, essas coisas não forem possíveis, eu me contento com saúde pra correr atrás de tudo.
Um grande beijo na pontinha do seu nariz, dos duendes e das Henas.
Sua admiradora eterna,
Natália

19 de dez de 2007

Buemba! Buemba!

Cheguei agora de pouco da rua e resolvi passar no meu blog. Um recado desesperado da Cristal, do "Dois cigarros e um café", dizendo que eu tinha que responder um Tag lá no blog dela... E fui lá ver, as 22:50, o que era esse convite.
Seguinte, seguiintinho: a Tag se chama "Tire um Screen shot de sua área de trabalho".

Bem, eu não sabia o que era Screen shot. Descobri que é a mesma coisa de um arcaíco "print screen", eu acho.. ahahahaha....

Taí o resultado:


Lindinho, né não!? Essa foto aí é aqui da esquina de casa. Na Avenida tem uma casa abandonada. Ela já foi habitada e tudo. Agora, o muro tá caindo , as árvores e os caracóis estão tomando conta dela. Em meio a tanta coisa triste, essas cores ganham vida nessa época do ano e deixa a esquina na cor da moda. Foi por isso que tirei a foto. Ainda, na barra do desktop, algumas janelinhas abertas além do msn. Ultimamente nem dá tempo de conversar, nem de atualizar, nem de... coitado, ligar o computador! ahahahaha

Mas, agora vem a parte principal da BOMBA que a Cristal me passou: EU TENHO QUE REPASSAR ISSO! Mas PRA QUEM!? Resolvi, então, sortear os meus MIMOS...

AND THE BOMB GOES TO:

Bruno, do Reformatório.

Maria Fernanda, do Drapetomania.

Nica, do Doce Melodia.

Deixem um recadinho assim que aceitarem, por favor?

Bom, eu não ia sortear todo mundo, senão não seria um sorteio (veeeerrdadeee?), certo? Mas, fiquem à vontade e, se quiserem, participem disso também.

Eu gostei da Campanha de Natal da Cristal e, por isso, vou colocá-la aqui:

Campanha de Natal: Responda uma corrente mesmo sem ser convidado! Afinal ser penetra (UI!)é muito mais divertido!

17 de dez de 2007

Minha primeira vez.

A primeira vez foi muito chata. Cheguei lá com o cabelo molhado e cara amassada. Tinha dor de estômago. Era intensa.
Olhamos um para a cara do outro e ele disse:
- O que você tem?
- Dor de estômago. Todos os dias, constantemente.
- Você tomou algum remédio?
- Sim, Antak.
- Hum... forte, hein!?
- Não sei, mas faz passar.
- Bem, tome este remédio e, se não passar, volte. Faremos uma 'endoscopia'.
- Só isso?
- Só. Tenho certeza que vai passar. Isso é frescura de mulher que não tem o que fazer.
- Vai pro inferno!
( Você nem sabe que vim aqui só pra te ver...)

E, pra quem ainda não entendeu ou não ligou ao post anterior, essa foi a primeira consulta com o médico, aquele que namoro e ele ainda não descobriu. Acho que as minhas dores de estômagos não vão sarar.... e pode chamar de frescura ou o que quiser, vou continuar procurando até que ele resolva descobrir o nosso namoro. (gargalhadas gigantescas)

14 de dez de 2007

À parte

Eu realmente não vou tomar jeito nunca. Eu sou louca. As pessoas são malucas. Aliás, mais que eu, sempre. Eu amo as esquisitices que vejo. Que vivo. Que pratico. Gosto de escrever esquisito. Falar esquisito. Viver o esquisito. Esquisito é a nova onda. Esse post é a coisa mais esquisita que fiz na minha vida. Não, minto. É a segunda coisa mais esquisita. A primeira é:

- Oi, mãe. Tô namorando um médico.
- Hã?
- É. Mas ele não descobriu ainda.

12 de dez de 2007

E meu amigo secreto é....


Eu não conhecia o blog dela. Não imaginava nem que pudesse existir esse nome. Mas me identifiquei com ela. Com as metáforas que ela utiliza. Com o jeito que ela escreve. E até mesmo como ela se descreve. Já tive muito disso em minha vida.

Muito bom e eu indico.



10 de dez de 2007

A Cidade do Sol

Quando li O caçador de Pipas, fiquei completamente apaixonada pelo estilo de Khaled Hosseini. Na verdade, fiquei mais apaixonada pela história da vida afegã que nós não conhecemos. E é com uma incrível sensibilidade que ele nos relata o que não imaginamos. Pensei que, após O caçador, não leria nada parecido. Foi quando resolvi comprar A cidade do Sol e percebi a grandeza desse escritor.

O primeiro livro relata a história de um menino, Amir, que vive com a culpa de ter traído seu melhor amigo, Hassan.

A história dos homens não é diferente da história das mulheres.

A Cidade do Sol conta a história de Mariam e Laila. Duas mulheres muito diferentes que são unidas pelo destino.

Mariam tem 33 anos e viveu metade de sua vida num casebre isolado. Quando ela tinha 15 anos, sua mãe morreu e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Na grande cidade, Mariam cumprirá seu destino de mulher: servir ao marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos.

Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser, Laila." Laila vai à escola todos os dias, é inteligente, sonha com países distantes e com seu amigo, Tariq. Sempre soube que a vida era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos.

Confrontadas pela turbulência da história de um país, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram e estão absolutamente sós, com suas expectativas sobre a vida viradas de cabeça para baixo. A partir desse momento, embora o acaso continue a decidir os seus passos, uma outra história começa a ser contada. E assim percebemos o que vai além do justo e injusto, bem e mal, homens e mulheres. Mariam e Laila são unidas para sempre pelo desejo de superar o sofrimento e o medo, vencer a opressão e encontrar a felicidade.

"Uma jovem Mariam está sentada junto à mesa, fazendo uma boneca à luz de uma lamparina a óleo. Está cantarolando. Tem o rosto suave e juvenil, o cabelo foi lavado e está penteado para trás. E não lhe falta nenhum dente.
Laila a vê colar pedaços de lã na cabeça da boneca. Em poucos anos, essa menina vai ser uma mulher que pede muito pouco da vida, que nunca incomoda ninguém, que nunca deixa transparecer que ela também tem tristezas, desapontamentos, sonhos que foram menosprezados. Uma mulher que vai ser como uma rocha no leito de um rio, suportando tudo sem se queixar. Uma mulher cuja generosidade, longe de ser contaminada, foi forjada pelas turbulências que se abateram sobre ela. Laila já consegue ver algo nos olhos daquela menina, algo tão arraigado que nem Rashid nem os talibãs conseguiram destruir. Algo tão rijo e inabalavel quanto um bloco de calcário. Algo que, afinal, acabou sendo a sua ruína e a salvação de Laila. A menina ergue os olhos. Deixa a boneca de lado. E sorri. 'Laila jo?' "

Às vezes, as minhas palavras não são suficientes para expressar o sentimento que brotou aqui após terminar a leitura deste livro. E quando as palavras falham, o que me resta é ficar em silêncio e aproveitar cada pensamento bom e melancólico que me foi proporcionado.

4 de dez de 2007

O Puteiro Mitológico

Eu queria escrever sobre o maior galinha da história greco - romana.

- salve salve baco
- Baco era um bêbado. Estou falando do pai dele.
- baco, bacanal.
- Então bacanal não tem sentido sexual?

Gosto da história de Baco, mas o maior puteiro mesmo foi seu pai, Jupiter, ou Zeus, como vocês quiserem.

Baco, deus do vinho, segundo Caravaggio

Júpiter se tornou o senhor do universo após derrotar seu pai, Saturno, numa guerra. (A chamada Guerra de Titãs). Casou com Juno, ou Hera, sua irmã mais velha. Com ela, teve três filhos: Vulcano, Hebe e Marte. À partir daí, começam as "puladas de cerca".
Com Maia, gerou Mercúrio; Com Latona, foi pai de Apolo e Diana; Com Tétis, Minerva; Com Europa, o Rei Minos, de Creta; Com Ceres, Perséfone; Com Leda, Pólux; Com Alcmena, Hécules; Com Danâe, Perseu; E, por fim, com Sêmele, concebeu Baco.

A concepção de Baco foi incrível. Sêmele, perturbada por Juno, pediu ao deus do Olimpo para vê-lo em sua forma real. Como este estava sob juramento, foi obrigado a deixa-la ver. Sêmele, por ser mortal, não sobreviveria a esta visão de Jupiter, caindo fulminada no chão. Júpiter tomou então das cinzas o feto ainda no sexto mês e meteu-o dentro da barriga da sua própria perna, onde terminou a gestação.

Baco se tornou o deus do Vinho, da alegria, da bebedeira.


Júpiter continua sendo o deus do Universo, habitante do Olimpo. Seus irmãos, Plutão e Posídon, são, respectivamente, os deuses do Hades e do Mar.

Porém, para mim, Júpiter será o princípio da existência do homem - puto.


Júpiter e Juno, por Carraci, séc. XVI

1 de dez de 2007

Amplitude

Tendo as oportunidades em minhas mãos, não consigo saber qual agarrar. Quero todas, o mundo inteiro. Fico triste por não me contentar com a simplicidade. Eu quero ser completa, inteira. Ter todas as coisas, todos os sabores e dissabores. Quero o compromisso descompromissado.

Algumas vezes, queria ser escritora; outras, a escrita.

Para mim, o perfeito chegará no dia em que for a tinta, o papel e a palavra.