31 de out de 2008

Ilha Emocional

Já nem sei quais são os motivos que me fazem perder o sono. Meus livros continuam no mesmo lugar em que os deixei há uma semana. Ao menos uma página foi mexida, uma linha sequer. Estamos ali, inertes, indiferentes um ao outro. Eu não quero ler; eles não fazem questão de serem lidos. Há livros fechados, lacrados como chegaram da livraria. Talvez já tenham morrido sufocados pela falta de cuidado que os assola. Mas eles sabem pelo que estou passando, sabem que a minha história ainda é mais importante para o curso de minha vida.

E eles sabem dos amores que desfiz, das paixões perdidas ao longo do caminho. Eles, mais do que ninguém, sabem dos olhos verdes que estão roubando meu sono, meus sonhos, meu equilibrio e meu pensamento.
Aqueles mesmos olhos verdes que levaram minha paz há alguns meses.

Os olhos verdes que foram capazes de segurar meu coração nas mãos e depois jogá-lo para o alto como confetes de carnaval.

"Os livros na estante já não tem mais tanta importância
Do muito que li, do pouco que sei, nada me resta
A não ser a vontade de te encontrar
O motivo eu já nem sei...
Nem que sjea só para estar ao seu lado
Só pra ler no seu rosto
Uma mensagem de amor..."

28 de out de 2008

Nenhum homem é uma ilha. O costume de conviver com a solidão pode fazer com que se sinta realmente sozinho e perdido. Ninguém é sozinho, apenas fica. Assim como ninguém vai ser triste o tempo inteiro.
Algumas pessoas dizem muito sem abrir a boca. Estes seus olhos de ressaca me levam para dentro de sua alma sem que você queira. Eu posso ver além da tristeza que você carrega ai dentro. Posso sentir que há muita coisa boa prestes a explodir. Não precisa me decifrar. Não tenho mensagens escondidas através do que eu digo...
Você é invencível. Invencível, impermeável e irremediávelmente triste. Diz que não tem um coração. Perdeu todos os oito no caminho. Mas tem, tem sim. Talvez ele esteja fora do lugar, como o meu esteve por um tempo, mas sei que você vai encontrá-lo e vai ser feliz com ele. É só não desacreditar: a felicidade chega para todo mundo; apenas os caminhos são diferentes.
Confie em mim. Você não precisa ser sozinho o tempo inteiro.

21 de out de 2008

Sentimental...

Eu realmente ando muito sentimental. Não quero discorrer aqui os motivos dessa sensibilidade, até porque são inúmeros e pode até ser que sejam sem fundamento.
Eu só queria contar um fato interessante. Interessante para mim, que ando assim muito sentimental...
Estava eu em minha sala, concentrada na leitura de Mounin. Não era nada interessante aquela leitura, mas era de extrema importância para o desenvolvimento de meu projeto. Eis que, de repente, surge um “pequerruxo” à porta da sala, com a carinha mais meiga da face da terra. Ele vinha com um copo d´água na mão.
Tudo bem, eu sei que vocês devem estar perguntando o que tem a ver o pequeno da água com meu sentimentalismo barato. Não tem nada.
O super fofo parou à porta e soltou tão timidamente a palavra “professora”, que eu fiquei ternamente intrigada. Atentemos para o fato de que ele não é meu aluno e, temporariamente falando, uns bons 4 anos irão passar para correr o risco dele se tornar um de meus pestinhas.
Quando me chamou, olhei em direção à porta, e ele deu alguns passinhos para dentro. Entregou o copo de água na minha mão, sorriu e foi embora.
Eu não estava com sede mas, naquele momento, minha boca secou. Os meus olhos estavam marejados, mas o meu lábio soltava um imenso sorriso.
Talvez meu copo d´água tenha se transformado numa linda flor, mas o que verdadeiramente fez meu jardim florescer foi o carinho colocado dentro do copo, e não a água.
Eu estou realmente muito sentimental...


*Ganhei um selinho da Jéssica. Steps: 1º Expor o selo no blog; 2º Colocar o link dos indicados. 3º Presentear 10 blogs.
1-
P.S - Palavras e Silêncio
2- Que momento!
3- Rascunhos, retratos e contemplações
4- Adriano Di Carvalho
5- A Vida Não Presta Mesmo
6 - Perdido Na Tradução
7 - República de Apina (Não poderia faltar você, meu colaborador!)
8 - Salada à Brasileira
9 - Tenho Certeza que Sim!
10 - Vermelho Pitanga

** Como ainda não deu tempo de apresentar e não sei se vocês perceberam, agora o Soda Cáustica & Guaraná também é assinado por ele, meu amigo querido, lindo, maravilhoso, homem dos sonhos de toda mulher. Ele lavaria a louça pra esposa dele nos dias de tpm, gente! Qué coisa mais 'cute'?
Eu apresento: André Medella, o homem que poderia ser da minha vida! :)

Beijos.

16 de out de 2008

Carta a Meu Bem

Eu quero te contar o que sinto e como foi que deixei isso acontecer. Mas antes disso, meu bem, eu queria te falar dos livros que li, dos milagres que presenciei, dos corações que curei...
Quero te falar da vida bonita que vi a cada amanhecer e do quanto questionei Deus pelas injustiçãs cometidas pelos homens.
Sei que sonhar é bom. Até gosto das noites em que você me visita pelos sonhos, mas viver é tão melhor, querido. Eu gosto da vida, desses constantes acontecimentos.
Sei, também, que você deve estar assustado e até machucado. Ou então está desesperançoso. Mas é melhor assim, meu bem. Acredite. A gente não deve construir ilusões ou esperanças em cima de outra pessoa. Elas nunca aguentam carregar os nossos planos.
Você sabe o que sinto, tenho quase certeza. Ontem, quando você estava sentado no sofá, me sentei na cadeira em frente só pra te olhar de perto. Você deve ter percebido, afinal nossos olhos se encontravam por alguns segundos, até que a vergonha não os fizesse desviar.
A verdade é que, embora eu tenha visto muitas coisas, não aprendi a lidar com essa situação.
Eu sei, você vai embora esta semana. Vá sim, querido. Mas sinta minha falta, queira me ver nos seus dias sombrios e alegres também.
Pense em mim o tempo todo, enquanto estiver longe. Perceba que seu coração enfraquece ao pensar em me perder.
Faça de mim o motivo de suas visitas à minha casa.

13 de out de 2008

[Des] Caso

Éramos dois, sentados ao sofá, lado a lado. Os corações pulsavam alto. Havia um filme, mas não pergunte qual, não consegui prestar atenção em mais nada que não fosse parte de você.

Você tinha medo de olhar ao lado e me encarar, mas sua mão alcançou a minha, e meu pescoço pendeu, encostando a minha face em teus ombros magrelos. Ficamos assim por alguns momentos, sentindo o calor das mãos que se encontravam.

Eu tremia por dentro. Sabia que a minha boca estava pedindo a sua e não conseguia disfarçar. Você sentiu meu corpo tremer e enlaçou o seu braço aos meus ombros, fazendo com que eu me sentisse protegida.

Enfim, como uma rotina, sua boca seguiu a minha e o beijo foi selado. Nossas mãos não se soltaram por nem um segundo, até que... eu acordei e percebi que já estava sonhando com você.

E hoje é mais um dia daqueles em que eu, sequer, poderei te ver. Preciso me conformar com isso, com essa situação de semi-crise em que me encontro, com a falta de interesse que você tem por mim, com o excesso de ciumes do irmão que te trouxe pra minha vida.

Eu sei que nunca vou poder contar que ando sonhando com você...

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
"Como pode ser gostar de alguém
E esse tal alguém não ser seu.
Fico desejando nós gastando o mar
Pôr-do-sol, postal, mais ninguém."
[Vanessa da Mata - Amado]

9 de out de 2008

Redundância n#1

Não quero mais sofrer. O senhor bem sabe que esse é o maior motivo de não me entregar. Eu sempre escolho as pessoas erradas e estou muito cansada de colocar toda dose de amor diário que possuo nas mãos de quem destrói essa coisa bonita minha. Porque, embora todos façam a mesma idéia sobre o amor, o meu pode ser conceituado de diferentes maneiras. Eu sou o amor, mas não aguento mais ver a minha capacidade de amar ser inibida e esmiuçada. Eu quero viver esse lugar comum chamado amor um dia, embora eu saiba que, mais cedo ou mais tarde, alguém vai me magoar, e eu vou achar que nunca mais o amor vá se manifestar em mim.

E aí eu vou até o meu jardim, e uma flor vai me sorrir; então o amor reaparecerá, e eu ficarei satisfeita com essas doses de amor que terei incondicionalmente todos os dias ao olhar meu jardim florido, beijar minha cachorra, colher uma pitanga vermelha e adocicada. E vou passar muitos dias bem servida desse amor divino, desse lugar não tão comum, que encontro dentro de mim e na natureza das coisas alegres. Pensarei que não mais precisarei entregar meus sonhos ao destruidor de Morfeu. Dias e dias irão se passar, enquanto vou saboreando o amor que carrego cá dentro, até que surja, mais uma vez, alguém que não possua amor algum, que viva como um vampiro, sugando todo o amor das pessoas e depois parta, deixando mais um coração ensaguentado e partido.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
"Minha vida
Que fazer com minha alma perdida
Foi um raio de ilusão
Bem no meu coração
E veio com tudo
Dissabor e tudo..."
[Djavan]

7 de out de 2008

Tudo que eu não deveria sentir

Quando o vi a primeira vez, pensei num chato de galochas. Não sei se foi pelo fato da namorada estar ao lado, esperando dentro do carro. Pode ser. Mas não sei.
Depois do primeiro contato visual, surgiu uma colaboração: corrigir uma resenha feita em dupla. E como me foi pavoroso ver os erros de ortografia, concordância, regência! Falei que era muito estranho ver um cara que escrevia tão mal cursando direito.
Ainda, com o tempo, a afinidade foi chegando, não muito, mas a impressão de chato já havia passado. E ai deu para perceber o quão bonzinho era. Menino de tudo, ponderado o bastante pra me fazer tremer, afinal o caos estava personalizado em mim.
Agora já não sei... passou uma temporada por perto e meu universo caótico se transformou. Ele me faz querer ser mais correta, mais ponderada, mais justa. Ele me faz enxergar as coisas com um senso que eu sabia ter dentro de mim, mas não estava à tona.
Ele me faz querer ser uma pessoa melhor, mesmo sabendo que, ao lado dele, eu sou só uma amiga, a irmã do melhor amigo e nada poderá mudar essa situação.

6 de out de 2008

5 de out de 2008

E agora vem você dizer...

Você merece alguém melhor do que eu. Sou cheio de defeitos.

Como um romance que começou cheio de poeminhas bem intencionados e promessas de eternidade termina com um clichê desses?

Já postulo aqui que esta sentença é falsa. Ninguém é tão altruísta a ponto de abrir mão de uma pessoa que deu um trabalho danado para conquistar só porque ela é melhor.

É esse tipo de clichê que enche os amigos do ex-amor de argumentos para arrastá-los para eventos de gosto mui mui mui duvidoso como micaretas, puteiros e clubes das mulheres.

- Aquele filho da p*** te falou isso? Ridículo! Vamos no Asa sábado que você esquece esse cara.

- Tá... e você acreditou? Da próxima vez que estiver com ela, manda tomar no c*! Vai sexta na minha casa que vou te apresentar a Candy, ela faz o melhor strip da cidade!

Soluções inócuas. Os relegados dos exemplos até irão às festas para as quais foram convidados, mas dificilmente se vingarão dos seus algozes beijando 49 ou deixando a Candy assada. Estes irão, no máximo, deixar seus fígados tão destruídos quanto seus corações. E substituirão a dor de corno só será substituída pela de cabeça.

Todo este trauma seria evitado com um pouco de assertividade. Bastaria evitar o maniqueísmo sentimental que prega que um é frio e a outra é sensível, que ela é safada e ele pudico... Seguindo este raciocínio, não há espaço para o "você é melhor do que eu" mesmo porque, de fato, ninguém o é.

E com o conforto de que existe uma pessoa legal ao seu modo para cada um, e que esta pessoa que terminou não combinava mesmo tanto com você, fica bem mais fácil suportar a melancolia inicial da perda. E, se for para destruir, que sejam coisas que não trarão mais dor: algumas fotos do nunca mais.