23 de abr de 2008

Eduardo e Cecília: Um caso de poesia.

Eduardo lê cada movimento de Cecília, sabe que ela é um caso de poesia, e não tem cura!

Talvez agora que Cecília tem um caso de amor, a poesia seja deixada de lado.

Mas Eduardo acredita que será diferente. Ele sabe que quanto maior o amor, maior a existência de belas idéias.

Hoje falou com ela sobre fazer planos. Porém os planos não são poéticos e Cecília prefere deixar que uma coisa aconteça de cada vez. Se começar a fazê-los, deixará sua poesia pra trás. E isso ela não quer.

Eduardo compreende muito bem que Cecília é da arte e não dos homens.

Ela diz que o presente é grande. Ele pede que continuem de mãos dadas.










"...Quem jamais poderia supor
Que de um mundo que era tão triste e sem cor
Brotaria essa flor inocente
Chegaria esse amor de repente
E o que era somente um vazio sem fim
Se encheria de cores assim..."
(Vinicius de Moraes, Canção do amor que chegou in Poesia completa e prosa: "Cancioneiro")

5 comentários:

Estava Perdida no Mar disse...

Menina...amei este blog. Vou linkar. E a panelinha vai se expandindo...rs
Beijos

Andreia disse...

Oi Ná! Como você consegue se superar menina! Tô indo AGORA ler Vinícius.....me deu saudades!rs


Beijão Linda!

Antônio disse...

Este casal me parece fadado à felicidade, pois há compreensão mútua, além do sentimento de carinho que ambos nutrem um pelo outro. E não há poesia mais bela do que aquela que surge do calor de dois corações que se amam...

Beijo!

Яoьεяτα disse...

Adorei a música de fundo.

Antônio disse...

Ei, tem um meme lá no meu blog que repassei pra ti, beleza? =]