28 de fev de 2008

Somos quem podemos ser

Coração acelerado, borboleta no estomago, boca seca, mão fria, pernas bambas. Não tô falando de ecstasy, tô falando de paixão.

Não tenho esses sintomas desde os... 18 anos, talvez. E não é complicado entender por quê.
Quando mais nova, queria encontrar alguém pra viver o resto dos dias ao meu lado e, com o tempo, percebi que não existiria essa pessoa. Não no momento em que eu estava procurando.
Os relacionamentos são coisas engraçadas. Particularmente, você bagunça toda sua casa, abre todas as portas e janelas. Planta novas flores no jardim, acrescenta retratos pelos cômodos. Muda de casa, passa a viver os sonhos de outra pessoa e compartilhar os seus projetos com ela também.
Depois de tudo isso, seu navio naufraga. Você se vê naquele marzão azul e sem nenhum porto ou suporte. Tá ali, molhada, sozinha, com frio e fome... de amor.
Em um momento, percebe que não pode se afogar e resolve nadar muito até chegar à praia e ser resgatada, sendo mandada de volta pra casa.
É a partir deste momento que surge a sua individualidade, suas vontades, suas manias.
Como li no blog da Jéssica, Sem Meias Palavras, falando das atividades pós-relacionamentos.
Na terça - feira você tem vontade de pegar o carro e ir a uma chopperia (se sua profissão for igual a minha, isso é perfeitamente possível e viável). Na sexta-feira, não tem vontade de sair. Quer ficar em casa, assistir o "Globo Repórter", a minissérie e depois de uma bela pizza com guaraná, ir pra cama com o pijama que colocou às 20 horas. (Eu ia dizer pizza com Coca-Cola, mas por que não citar o meu Guaraná de Soda Cáustica?)

Sábadão é dia de piscina, sol... e, quem sabe uma baladinha com as amigas tão solteiras quanto você? Ou, talvez, a cama de novo.
No domingo a tarde, você estende a rede, pega um livro e lê umas 100 páginas. Enfim, as paredes de casa estão pintadas de cores novas, os quadros e retratos foram mudados de posição e até aquela samambaia da varanda foi parar na garagem. Seus livros estão de volta na estante, seus sapatos saíram de baixo da cama e sua vida voltou a ser organizada, única. Você obteve sua individualidade de volta.

O que mais falta agora? É, falta alguém que bagunce as nuvens e brinque de caçar borboletas. Essa pessoa pode até aparecer, mas você não sabe se quer doar sua vida novamente, entregar seus sonhos e tentar 'relacionar'.
Uma hora, você vai ter de tentar. As mágoas podem virar cicatrizes e você pode querer arriscar sua pele novamente. É neste momento que você vai refletir e se perguntar: Estou pronta pra viver este ciclo?

"Um dia me disseram
Que as nuvens
Não eram de algodão
Um dia me disseram
Que os ventos
Às vezes erram a direção
E tudo ficou tão claro
Um intervalo na escuridão
Uma estrela de brilho raro
Um disparo para um coração..."
(Engenheiros do Hawaii)

9 comentários:

Vinicius disse...

O loko.. trocando a terça pela sexta rs...
eu acho que isso é coisa de gente velhinha rsrs

*Ná* disse...

Coisa de gente velhinha é deixar de sair na terça feira, Vi!Bj

Tititi disse...

"Estou pronta pra viver este ciclo?" Pelo jeito vc está se perguntando isso agora, acertei?
Que bom que voltou!!^^
Bjokas!

Silêncio de Chumbo disse...

De vc estar se perguntando é que ta aparecendo alguma coisa hein! =)
Essa resposta a gente só sabe quando se sente.......

Não faz muito tempo que eu não sinto isso... Mas nunca sei quando isso pode voltar, mas evito ficar pensando nisso....

bom fds!

beijooo

Bruno disse...

Meu Deus...

No começo do post, achei que iria poder pedir o endereço do seu fornecedor... Só que depois tu me desiludiu dizendo que não é ecstasy...

AHiUAHiUAHiAHUiA

;*

Medella disse...

Respondendo a sua última pergunta no texto: não! Nunca estamos... mas quando acontece a gente dá um jeito.

Beijos!!!

Vinicius Cabral disse...

Esse lance da borboleta no estômago é meio sinistro... rsrsrs

bjim

Mila disse...

Você, eu não sei.
Mas eu... Já passei da hora de iniciar um novo ciclo de vida bagunçada por outra pessoa.
rsrsrs

Anônimo disse...

Ná. Entrei no seu blog por acaso e já achei este primeiro post fantástico. Passo por essa fase, até deu para rir das minhas angústias!

Eu tbm tenho um blog, com pensamentos, poesias, e muito vídeo. Coisas que refletem meu momento. Dá uma visitada lá. O seujá vai ficar nos meus links. ;-)

Abs!

Kadydja - http://alkady.zip.net