16 de ago de 2007

Histórias de apartamento

Há um tempo atrás, comecei a escrever algumas histórinhas contando a vida rotineira das pessoas que vivem para o trabalho e, quando se dão conta disso, já estão velhas e nem sabem como é que deixaram os seus sonhos morrerem. Resolvi que, depois de algumas melhoras nelas, vou postar pra vocês. São crônicas bonitinhas mas de profundo peso psicológico. Espero que gostem. (Qualquer semelhança com a coincidência (não) é mera realidade.)




Quando abriu a porta de casa, ainda era ela, apenas a menina alegre, de olhar brilhante, que acreditava na humanidade. Começou a aprofundar-se no seu apartamento. Chegando ao quarto, olhou-se no espelho e ficou surpresa. Quem era aquela mulher que a olhava espantada? Não era capaz de reconhecer. Aparentava ser alguém comum, de olhar cansado, conformado e descrente. Algumas marcas de expressão na testa. A típica pessoa dos elevadores abarrotados de gente no final da tarde.

De repente, se deu conta: ela havia envelhecido. Desistira de lutar por seus sonhos. Aliás, havia deixado de sonhar há muito tempo, mas ela não se lembrava em que momento isso havia acontecido.

Sentiu um rubor subir-lhe o pescoço, o rosto estava avermelhando. Ela se sentia envergonhada! Tinha se tornado uma pessoa comum e possuido um destino tão comum quanto ela!

Aproximou-se do espelho e notou que seus olhos, antes tão vívidos, e as sardas que ostentava com orgulho, pareciam desbotados. Como isso tudo pôde acontecer? Como tinha deixado chegar a esse ponto sem perceber o que estava fazendo? Quanto tempo havia se passado?

Dentro de seu peito aflorou o desejo de ser a menina feliz novamente, correndo para casa com seu uniforme da escola, carregando seus livros e comprando algodão - doce.

Ela não queria mais ser aquela mulher estranha em um elevador, depois de mais um dia de trabalho, voltando para casa.

2 comentários:

Erika disse...

Aiiii adOrei neh...
O d hj e o d segunda tb hihi... Tds!!!!
BjOkOna!*

Vinicius disse...

"Quando abriu a porta de casa, ainda era ela, apenas a menina alegre" A bruna surfistinha ?