26 de mai de 2008

Reticências

Estava aqui sentada em frente ao computador para poder escrever um post sobre o meu aniversário. Mas nem sempre as coisas são do jeito que a gente gostaria que fosse. Pelo menos, não para mim, não na minha vida. Já até me encontro em estado inerte à essa condição de sobreviver que me impuseram e acho que nada poderá mudar a dor que sinto.

Hoje eu queria falar do que é completar 23 anos ao lado de pessoas que amo e fazem tudo por mim, e dos recadinhos que acalentaram meu ser, mas o destino mudou completamente o assunto e só posso dizer que viver ultrapassa qualquer entendimento.

Minhas orações não foram atendidas, mas nem por isso Deus é menor do que imagino. Ele é grande e poderoso e saberá dar conforto a quem precisar disso.

Há mais de uma semana tenho pedido incessantemente que Deus não a levasse e que deixasse continuar conosco para poder ver o pequeno crescer. Depois deste telefonema, onde nada foi confirmado, meu coração se desespera. Ninguém deu a palavra final ainda, mas tudo leva a crer que não haverá outra. O problema, na morte, é pra quem fica sentindo a ausência. Pra quem vai, é o fim, não da vida, mas da dor e do sofrimento.

Não pedi orações, não falei sobre o assunto porque pensei que ela se safaria. Ela, minha prima, 25 anos, um filho lindo de 1 ano e 6 meses e uma vida todinha pela frente. A mais velha lá na turma e que eu nem tinha mais tanto contato porque o tempo passa, as pessoas seguem seus caminhos mas nem por isso deixam de ser queridas e importantes. Uma dor, de repente, uma infecção. Quase uma semana na U.T.I e uma cirurgia. Aparelhos pra respiração e sedativos. Nada adiantou? Um bebê que pede a 'mama' e que não deixa o pai por medo de ficar sozinho. Corações que se despedaçam. E a saudade que vai ficar aqui comigo se essa notícia se confirmar.

Enquanto torcia para que o telefone tocasse e tudo fosse um susto, ele realmente tocou.

Espero que Deus, na sua imensa plenitude, receba-a de braços abertos.

Peço desculpas a todos vocês. Assim que puder, responderei a todos e voltarei a visitá-los.

Beijos no coração, porque a acidez da vida já me basta.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
"Só em Deus a minha alma tem repouso,
só Ele é meu rochedo e salvação."

24 comentários:

Tathiana disse...

Fiquei aqui pensando... Como a vida é frágil e a gente nem se dá conta disso no dia-a-dia. Tão nova...
Que Deus a receba e dê paz aos corações daqueles que ficam, na certeza de q um dia, todos iremos nos reencontrar.
Beijos.

Lydia disse...

E nenhuma palavra nesse momento é suficiente.
Beijão! Força!

Gabriela disse...

E nenhuma palavra nesse momento é suficiente.
Beijão! Força!²

Lizzie disse...

Para tentar compensar um pouquinho dessa acidez da vida, venho te dar um doce abraço, porque bem sei como dóem estes momentos.
Força sempre, é o que vais necessitar. Esquecer das pessoas nós não esquecemos nunca, mas algumas vezes conseguimos suportar a ausência delas. Eu sei que dói, e sei que dói demais.
Que ela vá em paz, e que possa ser bem recebida nesse outro plano.
E que você, que fica, consiga forças pra seguir. Porque um dia, com certeza, vocês voltarão a se encontrar.

Fique bem!
Beijos
www.lizziepohlmann.com

Tititi disse...

Sinto muito, flor!
Bjokas!

Mari Vianna disse...

Fiquei emocionada, juro.
Mas afirmo que essa é uma dor que realmente você tem que passar e que todos passam diante dessa situação. Não tem palavras que confortem, não tem frases que curem.

Só orarei por você,
e por ela!

um beijo!

Lile disse...

Ná,
não tenho o que te dizer. Só quem passa pela morte de alguém querido sabe o que é, e que não adiantam palavras de consolo. Mas adianta saber que há algo parecido com solidariedade. Meus sentimentos. Que você e sua família tenham serenidade para enfrentar esse momento.
Bjo

Pitanga disse...

As palavras não confortam nessas horas, mas é importante tentar lembrar (e compreender) que cada um tem uma missão por aqui. E, quando "o cara lá de cima" disser que as tarefas por aqui acabaram, é porque já se cumpriu cada uma delas!

Beijos Doces no teu coração,
Pitanga

Booperfly disse...

Querida...
Que deus conforte o seu coração e o da sua família...muita força para todos vcs.
Bjinhos,
Paulinha

Nat, disse...

Só posso te desejar muita paz nesse momento. E é, de verdade, o que te desejo. "Amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria, que se possa imaginar..." Acredite. Beijos!

Ju disse...

poxa...
é uma pena, mas como vc disse, a morte é dura pra quem fica - o que com o tempo ameniza, restando apenas boas lembranças e uma saudade sem fim
com certeza ela está melhor agora, acredite
=)
fique bem

Antônio disse...

Puxa vida, minha amiga...
Logo tu, que me ajudou tanto a salvar minha avó, passar por uma situação complicada assim. Há exatamente um ano atrás eu estava enterrando a primeira pessoa próxima a mim que falecia na família, e hoje sei que não existem palavras que nos confortem numa hora dessas.
Agora, Deus livrou a vó Dilma, mas continua levando outras pessoas para junto de Si, o que invariavelmente nos causa a dor da perda.
Conte, portanto, com minhas orações pela tua paz interior, para que Ele conforte teu coração e, principalmente, dê forças à família para educar o pequenino e suprir a falta que a mamãe dele fará.
Deus esteja com vocês, e que nossas orações agora te ajudem a encarar esse momento triste.

Beijão!

PS: Te repassei um selinho que tu já tem, mas mesmo assim resolvi prestar uma pequena homenagem.

Estava Perdida no Mar disse...

"As pessoas seguem seus caminhos mas nem por isso deixam de ser queridas e importantes".

Sabe esta trecho aqui? Então, digamos q poderia ser apenas isso. Que ela esteja seguindo o caminho dela, que é diferente do meu, do seu e do caminho do bebê. Digamos que seja só isso. Ela pode até ir, e vcs podem até ficar. Mas e a importância? E o amor? Onde isso ficará guardado?
Quer uma pequena dica de quem não entende nada sobre morte, mas já passou por muitas perdas de gente viva: Guarda num bom lugar. No melhor lugar que vc puder. Vai perceber como nem parecerá que ela está tão distante assim.
beijos
Se cuida
Não desiste de orar, tá?
Não desiste.

Renata Valim disse...

Ô Ná linda!
Como eu queria ter lido esse texto antes, te desejo muita força. E já te admiro, porque apesar do momento dificil, sua fé permanece!
Consolo, amor e carinho pra você, fora o abraço apertado.
Sabe que em meu aniversário de 18 anos, perdi minha avó no dia do meu aniversário também, e queria eu ter tido a mesma forma de pensar. Por isso te digo que admirei profundamente algumas linhas de seu texto. =)
Bem, espero que hoje vc esteja melhor, e sua família também. Deus tem os pensamentos muito maiores que nossos.
Beijos linda!

Silêncio de Chumbo disse...

É sempre triste quando a vida nos leva alguem assim....

Sinto muito... e Força ....

beijo

Antônio J. Xavier disse...

Tome todo o tempo do mundo... e força, viu?
Sua familia vai precisar... e Ele sabe que pode contar contigo p missões como essas...
Bjs

Bruno disse...

Nessas horas nada que se diga faz a ferida fechar, né? Mas desejo muita paz pra você. Keep walking!

Pitanga disse...

Ná, desejo paz para o teu coraçãozinho doce!

Beijocas,

Pitanga

Srta Diazepan disse...

o triste é que nessa hora qualquer palavra faz sentindo e o sinto muito parece muito pouco comparado com que vc realmente está sentindo nesse momento.
Desejo a vc e a sua família força para enfrentar essa barra.

Beijos

beeanka disse...

Bom, nem tem o que falar nessas horas, só você que precisa desabafar.
Ao menos isso ajuda :/.

Beijos.

esparadrapo disse...

voce é linda. nao soh pelo sorriso cativante. mas na profundidade das suas palavras. voce tb me fez chorar. sei lah, acho q as vezes isso me faz bem, me mostra q ainda sou vivo em relaçao a dores. normalmente eu as atropelo e outras vezes passam despercebidas por mim.

força.

grande beijo

Srtª Amora disse...

Fica tranqüila... as coisas se ajeitam. Beijos e Deus está ctg.

Maria Fernanda disse...

Como de praxe, primeiro publico alguma coisa para depois visitar os blogs... Não sabia.
Nessas horas faltam palavras de conforto para te dar. A morte nos pega peças e tira pessoas jovens demais de perto da gente... Nos cabe, apenas, acostumar-se com a ausência... É dar tempo ao tempo, chorar quando sentir vontade e esperar.
Um beijo de consolo à todos da tua família :*

Vinicius disse...

fique bem...