13 de mar de 2008

A Paixão por Mágico de Oz

Corrigindo algumas redações, percebi que as meninas ainda sonham com seus príncipes encantados. Eu já sonhei, mas me desiludi.
Deve ser por isso que eu gosto tanto da história d´O Mágico de Oz. Amo mais que Cinderela ou A Pequena Sereia. Talvez por que não haja príncipe para Dorothy e seu caminho à Cidade de Esmeraldas.
N´O Mágico de Oz, a personagem principal é Dorothy, uma órfã que vive com seus tios numa fazenda no Kansas. O grande problema de Dorothy é sua vizinha mal-humorada e solteirona [:o], dona de um gato velho que é perseguido por Totó, o cãozinho de estimação da menina. Um dia, a 'vaca' pegou o Totó e tentou machucá-lo muito!

Dorothy tentou contar aos seus tios e até aos três atrapalhados que eram empregados da fazenda, mas ninguém deu atenção. Como se não bastasse, a megera conseguiu uma permissão do xerife para acabar com o Totó. No entanto, para a felicidade de Dorothy, o cãozinho era tãoo esperto que conseguiu fugir da malvada. Foi então que a menina resolveu ir embora de casa e levar o Totó para um lugar seguro. Porém, no caminho de volta, após se arrepender, Dorothy foi surpreendida por um tornado, ou furacão, como vocês acharem melhor. Ela conseguiu chegar à casa da fazenda, mas esta foi levada pela ventania, rodando e rodando céu a fora.
Quando a casa finalmente pousou, Dorothy descobriu que a casa caiu sobre uma bruxa perigosa e a matou!

Surgiram alguns homenzinhos - os Muchkins - que eram dominados por aquela horrorosa. Começaram a aclamar Dorothy como heroína por ter matado a Bruxa do Leste.
Querendo voltar pra casa, Dorothy pediu a direção aos habitantes daquela cidade. Eles afirmaram à garota que ela deveria procurar a ajuda do Mágico de Oz, na Cidade das Esmeraldas.

- "Follow the yellow brick road".
Siga sempre a estrada de tijolos amarelos. Era o caminho mais fácil para se chegar a Oz. Aquela estrada cortava o país inteiro!
Com a orientação da Bruxinha do bem, Dorothy calçou os 'sapatinhos de rubis', que pertenciam à Bruxa do Leste. Usando-os, nenhum mal poderia acometê-la.

Agora vem a parte mais bonita dessa jornada. Segundo Medella, O Mágico de Oz é uma visão feminista dos homens. O Espantalho não tinha cerébro; o Homem de Lata não possuía coração e o Leão não tinha coragem. E é aí mesmo que o meu amigo se equivocou. A lição dessa história vai além de rejeitar os homens e idolatrar uma mulher.

Dorothy busca uma forma de voltar pra casa e se propõe a levar seus amigos ao Mágico de Oz para que eles possam pedir as coisas que eles sentem falta.
E a estrada de tijolos amarelos? Nada mais é que o caminho do auto-conhecimento.
O Espantalho, que se achava sem miolos, é o possuidor das melhores idéias da história. O Homem de Lata, que queria um coração, era o mais bondoso e caridoso dos quatro amigos... e o Leão? Aquele que não tinha coragem nenhuma!? É o cara que se arrisca para salvar a vida de Dorothy depois que ela é capturada pela maldosa Bruxa do Oeste, irmã e inimiga da Bruxa do Leste; inimiga pelo fato de desejar ardilosamente os sapatinhos de rubi!



Descobrem também que O Mágico de Oz não passa de um velho senhor que caiu ali num balão desgovernado, fingindo ser um feiticeiro poderoso. Contudo, ele atende ao pedido dos nossos heróis: Ao Espantalho, um cérebro de alfinetes [que o faz feliz e possuidor da maior inteligência do mundo]; ao Homem de Lata, um coração falso; ao Leão, uma beberagem que este julga ser a coragem almejada.
E é essa a história que me faz a pessoa mais feliz do mundo. A que traz a moral mais simples e verdadeira...

O fim? Bem, assistam ao filmezinho... vocês entenderão melhor tudo isso que eu sinto ao lembrar do Conto mais Maravilhoso do Mundo, não apenas de Oz.



Atenção: No próximo capítulo colocarei a musiquinha e o vídeo mais apaixonante do filme!
Beijos

7 comentários:

Wagner disse...

Acredita que nunca assisti! Preciso ver esse filme o quanto antes!

E sim, o menino da calça xadrez é parecido comigo... praticamente meu irmão gêmeo! hehehe

Vinicius disse...

porque o cara tem um funil na cabeça ?

Fê Probst disse...

se eu te disser que nunca vi, você acreditaria?

JLM disse...

Ano passado saiu uma série americana muito boa chamada O Homem de Lata, dando uma nova roupagem ao The Wizard of Oz. Já está disponível na internet pra baixar visto que não há previsão de quando passará por aqui.

Se quiser mais detalhes, taí o link dela no IMDB.

1 abraço.

Medella disse...

Filme feminista sim! Veja só... todos os homens que ela encontra pelo caminho são descerebrados, decoraçãozados ou desencorajados e, por fim, velhos viajantes inúteis que enganam os outros (coração falso e blá blá blá).

Ahhh, me conta outra! Agora vai dizer que a Formiga e a Cigarra não tem nada a ver com a postura escravocrata contra o proletariado (só come quem trabalha de sol a sol!)

Chega desse comentário vermelho! Gosto do capitalismo e fico feliz que filmes como esse tenham rendido tanto dinheiro!

Beijos e chega de devaneios!
Me paga uma cerveja?

beijos!!!!

Mila disse...

Eu acho legal, mas nunca consegui me encantar de verdade com O Mágico de Oz.
A minha Dorothy continua sendo a Alice. Sou apaixonada por ela!

Como fã do Mágico de Oz, você já deve ter ouvido falar sobre a tal sincronia entre o filme e o Dark Side Of the Moon, né? Queria testar um dia, mas não tenho nem o filme e nem o disco. rs
Ah! E o clipe de Na Sua Estante, da Pitty, já viu também (esse todo mundo já viu)?

Conrado B Tramontini disse...

Ou tvz porq os príncipes encantadados sejam apenas pessoas comuns, tentando achar o caminho de casa.