10 de set de 2007

A vida é um soco no estômago

Com o tempo, a gente aprende que pode solucionar situações adversas da mesma forma ou que as situações semelhantes nem sempre têm a mesma resolução.
A verdade é que a vida come a vida e eu não posso fazer nada contra isso.
Tentamos mudar algumas coisas e tornar um rumo certo, mas a vida não deixa, ela nos leva a nocaute, nos derruba...
Quando você leva um tombo, fica atento ao chão para não levar outro. O problema disso é que, olhando para o chão, você perde a oportunidade de ver a paisagem ao redor. E a mesma coisa acontece com os relacionamentos. Mesmo que você esteja calejado, não deve deixar de se "doar".
Um dia após a decepção, você deve acordar e pensar: "hoje é o primeiro dia de minha vida: nasci."
E eu irei até onde o ar termina, até onde o vácuo faz a curva. Irei aonde meu fôlego me levar. Será que ele me leva a Deus?
Acho que o melhor negócio ainda é não morrer. Morrer é insuficiente, e não completa. É, quero chegar até Deus, pois ainda acredito na iminência da vida no mundo e no amor sem razão.
Mas por que fui me lembrar que a gente morre?
Prefiro não esquecer que por enquanto é tempo de morangos.
Sim?!

Nenhum comentário: