14 de set de 2007

Sufoco

"Escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém, talvez a minha própria vida."

Escrever é essencial ao meu entendimento. Escrevo para expressar o que passa dentro de mim. Quero perdoar o que me foi dito e feito.
Escrevo para tentar relatar a delicadeza de Deus; como um pingo único de água a cair do céu e esbarrando certeiro em minha face.

Deus existe e não é com uma 'bofetada' que ele nos mostra o que precisamos ver, é com uma folha de árvore que cai e toca suavemente os cílios da gente.

Escrevo o amor que senti, as lições que levei e as lágrimas choradas.

Perdoar, amar o próximo e oferecer a outra face.

Escrevo a minha incompreensão e a minha intolerância.

Escrevo palavras únicas e imortais.

5 comentários:

trocador disse...

muito bem, moça. é pra isso mesmo. só senti aflição da folha caindo nos cílios da gente. tenho aflição a qualquer coisa que chegue perto dos meus olhos, com exceção de beijos.

Garrit disse...

Vim retribuir a visita e gostei do seu blog.

Parabéns!!!

Volte no Histórias sempre que quiser!

Vinicius disse...

ahnn eu num escrevo pra salvar alguém.. faço ao contrario rs..
eu leio rsrs..

Kombi Azul disse...

E nós escrevemos para transformar em musica

Tiago disse...

a faxineira nao te tocaria como eu.