26 de set de 2007

O Bilhete


Não escrevo pra contar os fatos, escrevo bilhetes curtinhos que ficam guardados na minha agenda.
Eles não são de amor, são de incertezas.


De hoje em diante, venderei pedaços de sonhos. O preço? Solidariedade.

Um comentário:

Vinicius disse...

huahua o preço pode sair caro rs..
que letra feia heim rs...