10 de jul de 2008

Para um amigo, de coração

Hoje foi quase um dia de cão. Precisei ler algumas páginas de um artigo, mas ainda não consegui refletir sobre ele para fazer a tal da resenha crítica que me foi pedida. Porém, como todos os dias, abri meu msn... e fui buscar a conversa em uma de minhas fontes mais rentáveis para a palavra, um grande amigo, queridíssimo e inteligentíssimo, Fábio.
Começamos a conversar e a minha mente estava bem dispersa. São tantas coisas a resolver, tanto a falar que, as vezes, não consigo sintonizar. Foi então que comecei a reler algumas palavras dele sobre mim e gostaria de expô-las pra vocês. Não sei se são verdadeiras, mas ele sabe muito mais de mim do que eu mesma. Ele enxerga as minhas confusões mesmo quando eu não consigo definí-las.
E ele diz sobre mim:
" Natália: Latim, Natalis, dia natalício. só consegue amadurecer depois de muito lutar para chegar a um equilíbrio entre a razão e o coração. Por isso muitas vezes é vista como uma pessoa inconstante. É fiel e exige que seja tratada com deferência.

"Um cliché. Sou sim, bem sem graça... "
Sem graça?
Graça: do Lat. gratia, agrado
s. f., favor que se dispensa ou que se recebe;

mercê;
perdão;
comutação de pena;
despacho, nomeação;
privança;
elegância de formas, encanto, sedução;
elegância no estilo, dicção espirituosa;
espírito, chiste;gracejo;
dom sobrenatural como meio de salvação ou santificação;
nome de baptismo;

Cabo Verde,
vontade;
(no pl. ) agradecimento;
(no pl. ) benefícios espirituais concedidos pela Igreja;
(no pl. ) designação de três deusas pagãs;

Obrigado!.
Não é sem graça
De todas as significações, tu és...
Agrado...uma agrado enviado pelo Arquiteto desse Universo sem fim...
Um favor que se dispensa, e eu recebi...um favor divino...
Uma mercê, um indulto, uma recompensa que recebo...
Elegância de formas,TODAS as formas, dentro e fora...
Encanto simplesmente....
Sedução sempre...
Elegância no estilo, ora, és professora!
Dom sobranatural como meio de salvação e santificação, pois é ,me salva, de mim mesmo, me salva da mina letargia intelectual, me faz pensar...


OBRIGADO
QUAL SUA GRAÇA?

“...e estou vivendo um hiato criativo, aspirando à inquietação da alma...”
Se cada um sofresse de deste seu “hiato criativo”.....
Teríamos pinturas de rodin, boticelli, da vinci e picasso a “preço de banana” em cada esquina deste mundo, de Timbuktu à Tóquio.....
Cada documento, cada contrato, cada carta seria em poema, por mais informal que fosse...
Viveríamos em um grande planeta teatro, onde todo dia teríamos performances, espetáculos, festivais, tudo nas ruas, a todo instante....
Não haveriam guerras, haveria arte...
O verbo amar seria conjugado a cada dois segundo. Não!!! A cada milésimo de segundo....
E, assim, realmente, um léxico só na seria suficiente ( já não é pra mim agora)

“...Prefiro carregar o caos cá dentro a não ter esperança de gerar uma estrela...”
BIGBANG!!!!!!!!!!
É no início, havia o verbo...

Foi então que despertou toda a minha curiosidade. Foi muito difícil entender como é que ele enxergava tudo isso em mim apenas por ler algumas palavras...
E então, outra surpresa:

"Um paradoxo alegorizado"
Deveras paradoxal,deveras. Nem entrarei no mérito do "alegorizado".
Fantástica! É uma baixinha linda, adora clarice lispector, tem medo de morrer sem ler tudo o que tem vontade.
Pode ser, sabe, ela diz que o bolo de chocolate com morango é demais!

Gosto demais dela! Ela responde as coisa do jeito que quero, do modo que espero, pensa parecido comigo, e como é linda, meu Deus! Ela vale um batalha! É uma declaração... eu não sou muito de falar de Deus, mas ela me faz falar...
Te entrego minhas palvras, com a alma aberta, com o coração em chamas.


E, logo após, o poema:

DESUSO-ME
Meu nome é língua morta
Não me conjugam
Não me flexionam
Não me fazem ser

E com o tempo
Deixo de ser
Desapareço do vocabulário
Não mais praxe, não mais estilo
Torno-me arcaísmo

Em queda livre da existência
Mas há esperança
Que em um súbito querer de rebusco
Seja desenterrado das profundezas do pretérito
E, assim, preencha o vazio de um significado

Aí me farão valer
Serei o refrão da seresta
Serei a rima do terceto
Então, em uma simples rabiscada
Terei o amor de uma vida inteira.

Foi com surpresa que recebi o poema. Com medo dessa admiração que se expunha sem pudor. Medo, de verdade... Mesmo assim, mantive nossas conversas e um depoimento veio a me deixar maluca:

"A Natália é igual a vista do apartamento onde atualmente moro em São Paulo, pois prostrado diante da janela vejo o conjunto de prédios da Santa Casa de Misericórdia, uma obra de mais de cem anos de idade, construída em um estilo que não sei como identificar( nem tentarei, haja visto não estar habilitado para tanto,) , mas continuando, um pouco mais abaixo, quase defronte pro meu prédio, fica um edíficio residencial, de toque bem modernista, à la Nações Unidas Building, com um espaço de lojas embaixo. A este ponto da minha descrição você deve estar se perguntando "mas o que diabos é tudo isso relacionado à garota? Simples, a Natália é ontem e agora, é confusão e calmaria, é diversidade, antigo e novo, passado e eternidade. É uma mulher de seu tempo, e de todos os outros. É a loucura que assola o hospital e a calma caseira que acalenta as famílias. É clássico, neo-classico, art noveau e decó. Por fim, é fascinação.
A beleza não é da vista, é da confusão, não é da Natália física, é da intra-Natália, aquela dos sonhos , da confusão, da indecisão e da diversidade. A menina em vias de ser cosmoplita. Beleza estética só você tem, a vista daqui não. "


Hoje, ao conversar com ele e mostrar toda a minha confusão, soltou outra revelação:

"Sabe, te compreendo e , ao mesmo tempo, acho que não te entendo, e é, de certo modo, divertido, pois eu não sei o seu rumo, ou melhor, o rumo que vc quer pra vc mesma, assim, é meior divertido, não digo que seja divertido ver a confusão que cria pra vc mesma -por conta de tua condição de ser humana -mas por ser diferente, ser esta combustão incessante de vida, de conflitos internos, mostrando que não és o "pão com manteiga" comunzinho das manhãs, és algos melhor, maior, mas ambragente. És vida.
Ao te ler, gosto de vc além do limites do que é carnal, gosto pela sua qualidade de ser humana e poética, comungando, assim de um forma que eu não posso explicar. Só sei que me faz melhor, de uma maneira que vai além de mim mesmo. Sei que é um tanto quanto etério o modo como coloco, mas só sei que é assim, é ótimo te ter aqui, pois este jeito fulgurante de escrever - até mesmo na melancolia - aflora o melhor nos outros, e em mim."


E depois de todas essas palavras, me lembrei de algumas que vieram lá no começo, quando ele leu a minha descrição, quando deixou mais um recado, com o qual finalizo a seção e respondo à tanta admiração e carinho:

"Eu gostei muito do que escreveu sobre ti, foi clara e poética.Sabe, você ainda é um mistério pra mim, e isso me incomoda bastante, pois eu, geralmente, tenho uma facilidade pra “ler” as pessoas, e a impossibilidade de “ler-te” me instiga e me enraivece. Mas não por não entendê-la, e sim por não saber em qual estágio de sua, diga-se, confusão está. Caso contrário, seria bem mais fácil te agradar, mas eis que caiu em uma contradição, pois, se te entendesse, seria uma decepção. Ora, é isso que me instiga, se a Srta. fosse tão clichê, não seria tão divertido buscar-te,-- seja lá onde estiveres. Supero-me ao tentar não te parecer chato ou idiota, e sabe, chega a ser meio dolorido buscar tal perfeição.Mas a dor leva à conquista, não de ti, (ainda) não sonho tão alto, isto é, leva à conquista de mais saber, de uma maior excelência e finura no trato com as pessoas e ,principalmente, com a língua mater.Agradeço pro ter tropeçado nas linhas virtuais que continham o seu ser. "

Fábio, você sempre será o convidado de honra no meu reino. É bom sempre ter sua opinião e por isso te pentelho pedindo para que me leia. E como lê sem que eu tenha escrito, amigo! Você é portador de sensibilidade e sensitividade invejaveis. A vida sempre é uma contradição, não é? Então, eu posso ser uma também!? Odeio esse paradoxo que ocasiono, simplesmente por não conseguir tomar uma simples decisão ou escolher um único caminho a seguir. O problema é que me permito a dúvida sempre, e você sabe disso. Eu quero tudo! Quero o mundo! E tudo ao mesmo tempo! Abraçar todas as possibilidades com braços pequenos...
Você me faz acreditar que o ser humano nasceu para despertar coisas boas nos outros. Você me instiga para a vida.
Agradeço por tê-lo encontrado.
Eu sempre serei tua amiga e sempre o terei na mais alta estima, dentro do meu coração.

Esse post foi pra você, querido.
Beijos.


3 comentários:

Gabriela Melo disse...

Ai que amor!

Maria Fernanda disse...

Que lindo. Que doce. Que tudo!

Nally disse...

Que coisa liiinda!
=]