30 de jan de 2010

As escolhas que a vida não faz

No amor, assim como na vida, nós vivemos das escolhas que fazemos. Em todos os momentos elas são exigidas: para que lado ir, que caminho tomar, o que comer, o que não fazer...

E após algumas decisões, passamos a vida a perguntar se fizemos o certo.

Os relacionamentos fazem parte de nossas escolhas. Escolher ficar ou ir embora é uma das coisas mais importantes que devemos fazer. É o que vai mudar o nosso rumo, o que vai dignificar [ou não] as nossas atitudes. Entretanto essas escolhas devem ser impostas à você por ninguém mais que você próprio. Ninguém poderá te dizer que está na hora de escolher. Se isso acontecer, você precisa se perguntar se realmente está tomando conta da sua própria vida. Deixar que as pessoas te digam a hora certa de escolher é deixar de tomar as suas decisões. E se alguém te mandar escolher, você deve parar e dizer: “Tudo bem, já que você está indicando a hora em que eu tenho que fazer minha escolha, faça - a por mim”.

Já há algum tempo em que venho ensaiando uma maneira de falar sobre isso. Isso que eu digo são as dúvidas que existem em nossas vidas. Dúvidas que são impossíveis de extinguir, que sempre existirão. Não importa o quão incisivo você seja, ficará em dúvida ao menos uma vez. E essas dúvidas não são relacionadas apenas ao trabalho, ao caminho, ao almoço de amanhã... Mas elas estão presentes principalmente quando encontramos alguém que... bem, que mexe com os nossos instintos mais obscuros. Elas estão presentes quando você sente a necessidade de fazer algo que não quer, ou ainda quando você quer fazer algo que não deve.

Neste ponto introduzo uma questão que vive perambulando pela sociedade: Se nós sabemos que por trás de todo desejo nem sempre existe um sentimento, se sabemos que o sexo é uma necessidade fisiológica e que poderia ser saciada com qualquer pessoa que nos atraísse, por que nós insistimos em achar que uma pessoa pode realmente gostar de nós quando, na verdade, a atração física é o que está coordenando todas as palavras e ações que esta pessoa dirige a nós?

A maior verdade é que nós não conseguimos deixar de criar expectativas. Nós conhecemos as pessoas e, infelizmente, esperamos algo delas. Não que elas não sejam capazes de surpreender às vezes, mas nós sabemos que, na maioria delas, não querem corresponder ao que esperamos. Uma hora, mais cedo ou mais tarde, vamos nos machucar. As pessoas vão dizer adeus, virarão as costas e... bem, você vai esquecer que era só um desejo e vai querer chorar por não ter sido surpreendida mais uma vez.

Algumas vezes nós precisamos aprender a fazer uma distinção entre o desejo sexual e o desejo social. Algumas vezes nós precisamos fazer de conta que o coração não bate e o pulso não pulsa. Precisamos fazer de conta que somos animais selvagens sedentos por manter a espécie a salvo. Mas só por algumas vezes. Não tenha isso como regra à sua existência.

E, embora as dúvidas nunca sejam extintas, devemos saber que as escolhas partem de nós. Nós escolhemos como agir e se devemos ou não sofrer. Nós escolhemos como finalizar uma história. Nós escolhemos o tipo de solidão que queremos. Nós escolhemos o amor ao sexo; ou o sexo ao amor. Mas, com certeza absoluta, todos nós temos o mesmo fator influenciável para estas escolhas: a busca pela felicidade.

Talvez o caminho para a felicidade seja, apenas, aprender que nós podemos amar as outras pessoas sem exigir nada em troca.

10 comentários:

Anônimo disse...

Mesmo quando não converso com vc, eu sinto que vc está falando comigo! rs
Saudades

Raquel Farias disse...

Simplesmente adorei o texto e concordo com tudo. O ruim é quando você quer o amor de alguém e ela simplesmente só quer sexo.
Infelizmente a realidade é que a maioria das mulheres buscam o amor e os homens em sua maioria, praticamente a totalidade, são movidos pelo sexo.

Nós, por vezes, violamos nossos próprios princípios e corpo na ilusão de alcançarmos ou mantermos o amor de alguém por nós ou simplesmente por puro sexo mesmo.

Alessandra disse...

Ná, com certeza o amor verdadeiro passa por aí: amar sem nada exigir...Mas é difíiicil...
Bjin

Alexandre Gil disse...

fui em uma formatura de publicidade em 2005 e o paraninfo falou por uma hora um monologo russo sobre escolhas; chorei.
qto a desejo sexual q comentaste, na boa, mulher nao tem isso, quem tem é homem, mulher so apaixonada e por um apenas.

Qto a escolher partir, isso e o fiofó da cobra, pq qdo estamos indo é bom, mas qdo somos abandonados......... sangra a Alma.

Gostei mto do post!

Anônimo disse...

Li agora, e não se posso dizer que gostei.Pareceu-me, mais uma vez, total resignação.

Tento entender pra quem você fala, ou seja, se é pra mim, pra outros ou pra você mesma.

Acredito que você irá escolher essa última opção, só como forma de, DE FATO, não escolher, pois, na dúvida, opta por você mesma. Sempre.

A questão é que, ao optar só por você, esquece o que realmente alguém mais pode estar sentindo ou pensando.

E nesse medo resignado, acaba por eleger a dor como norte de tua vida. Só se perguntando, sem viver, mas, se vive, não sei como faz.

Vinicius disse...

não entendi!

disse...

Com certeza é esse o caminho.
Fico feliz sempre que volto aqui :)

Beijo

Vanessa M. disse...

fazemos as escolhas e a vida muda alguns detalhes.

Vanessa M. disse...

E olha, Ná, vou discordar de uma coisa: verdade que a atração física é o convite, mas quem faz a gente permanecer na festa vai muito além disso.

casa disse...

[...]insistimos em achar que uma pessoa pode realmente gostar de nós quando, na verdade, a atração física é o que está coordenando todas as palavras e ações que esta pessoa dirige a nós?

BEM NO MEU PONTO DE VISTA ISTO QUE VC ESTÁ FALANDO É APENAS DE UMA PRIMEIRA IMPRESSÃO, POIS, A APARENCIA PODE NOS ATRAIR NO PRIMEIRO MOMENTO, MAS E DE DEPOIS, ELA NÃO CONCIGUIRA SUSTENTAR UM RELACIONAMENTO...SE VC DIZ QUE O HOMEM É SÓ SEXO...ENTAM SERIA MAIS FACIL NÃO NAMORARMOS E SAIRMOS COM PROSTITUTAS...RSRSRS...O CARDÁPIO SERIA VARIADO, NÃO PRECISARIAMOS FICAR AGUENTANDO TPM E ATÉ QUE SAERIA MAIS BARATO...RSRSR BRINCADEIRINHA.....MAS A VERDADE É UMA SÓ...O AMOR É UM CONTRATO QUE DEVE SER FIRMADO ENTRE DUAS PESSOAS...ELAS DEVEM ESTAR CIENTE DE SUAS RESPONSABILIDADE UM COM O OUTRO...E ISTO NÃO É SÓ SEXO...