25 de ago de 2008

Nebulosa

Como sempre foi em sua vida, ela respirava devagar para não lhe faltar o ar. Caminhava a passos lentos para não perder o delicado essencial.

Sonhava ser estrela de Hollywood e viver um romance desses que a gente vê em filmes.

Ela achava que a vida sempre lhe mimaria, assim como sua mãe fez o tempo inteiro. Achou que ia ser feliz da primeira vez, mas se enganou. Não era suficientemente boa para ele, que queria ser feliz a todo custo, e ela só queria ser estrela.

Da segunda vez, pensou que era pra sempre. Falou-se até em casamento. Ela tinha medo, sabia que tinha, mas não o encarava, preferia fingir que estava tudo bem. E foi o maior tombo de sua vida. Não sabemos dizer se foi pelo que ele lhe fez ou se foi pelo que ela permitiu que fizessem com ela.

Já não queria tentar a terceira vez. A possibilidade de dar errado era o que mais lhe assombrava. E foi então que resolveu não se levar a sério.

Tinha o lábio partido por causa do vento excessivo do mês de agosto. Tinha os olhos cansados, desbotados. Já quase não fazia força para brilhar e achava que o popular que adquirira não a poupava. Não mesmo, ninguém a poupou.

Mesmo não querendo arriscar, se apaixonou. E assim ficou sem saber como continuar a escrever sua história, que era tão bonita antes de se tornar tão triste. Embora soubesse que a vida é ponto de luz, único escape para a alegria, tinha medo de viver.

Tudo isso porque, no fim, não houve amor algum.

35 comentários:

Tiago Júlio disse...

Moça, primeiro tenho que elogiar teu texto: leve e agradável, como todos os que já li... Aliás, tirando um que é bem melancólico, mas enfim.

Agora sobre o prêmio. Não queria fazer isso por aqui, mas acho que não tem outro jeito.
Eu realmente estou muito, muito lisonjeado. Sei que conheces muitos blogs, tens muito mais familiridade e conheces esse meio há mais tempo que eu, tinhas dezenas de opções para entregar o selo e escolheu dá-lo a mim. Lhe agradeço muito por isso, aliás, por isso, pelo carinho e pela tua atenção.
Mas eu não vou aceitá-lo. Vou tentar me justificar contigo, talvez seja em vão, mas eu lhe devo uma explicação:
O que eu escrevo no meu blog não é para ser condenado ou agraciado, é simplesmente para ser lido, e só. Eu escrevo antes de mais nada para mim mesmo, tenho uma relação complexa com a escrita, não tem nem espaço para explicar isso aqui.
Os comentários e elogios eu agradeço sinceramente, mas eu não escrevo e posto por causa deles. Escrevo porque necessito e posto porque quero compartilhar a mim mesmo.
Sei que o teu prêmio (ou seja lá de quem for) seria uma forma de incentivo, de demonstrar que o blog é bom e tem qualidade, mas eu realmente não acho necessário usar o selo para isso. Eu me contento com os teus comentários e as tuas palavras de carinho.
Eu realmente tô sem jeito de fazer isso. Desculpa o transtorno e muito obrigado mais uma vez.
Espero que entenda. =/

Nat, disse...

Unh... sei não... não existe vida bastante na tentativa? Não existe amor o bastante? Se não existe, então a tentativa não existiu, foi brasa apagada pela chuva... A tentativa sempre vale a pena. ter medo de viver é desperdício, heresia...
Beijos abrasadores. Nat

Cadinho RoCo disse...

Sabe de uma coisa? No mais das vezes o grande amor surge de um pequeno e inesperado instante.
Cadinho RoCo

Ju disse...

puxa, q tristeza...
=/

Antônio disse...

"Já não queria tentar a terceira vez. A possibilidade de dar errado era o que mais lhe assombrava. E foi então que resolveu não se levar a sério."

É incrível como algumas frases caem como uma luva em nossas vidas e parecem fazer todo um sentido. Simbiose plena!

Beijão, Ná!

disse...

Que lindoo!
Lindo e triste não é?! =(

beijão

Antônio J. Xavier disse...

Eu já acho que vc deveria encarar todas as provações do passado como um aprendizado.
Alguém como vc, logo logo vai encontrar o amor na forma mais pura... amor verdadeiro e para a vida toda.
Alguém para te mimar, te abrigar e te fazer feliz pra vida inteira...

Uma menina linda, com um sorriso assim, só merece coisas boas...

"(...)e só espero, coisa linda, dar-te muitas coisas lindas" (Vinicius de Moraes)

bjinhos repletos de carinho...

Lydia disse...

O amor acontece justamente quando menos esperamos.
ah e de coração obrigada pelo prêmio Dardos. Fico feliz!!!
Beijooo

Gabriela Melo disse...

Eu também não queria ME arriscar... mas parece que a vida não pede a nossa opinião);

Muito bonitinho o selo que vocÊ me deu.
Mas acho que não tenho 15 linkados lá no blog.
Na próxima postagem eu repasso.
Beijo, Ná.

Thefy disse...

Que lindo flor..amei o texto...
Mas se não arriscarmos, como vamos saber se é bom??!!Medo e insegurança na dose certa pode nos salvar a vida (e o corãção) mas se eximir de viver por medo, não é a melhor escolha...
Ah e anjos existem com certeza..rs
Bjokas flor..

Rafaew disse...

gente, que emoção ser premiado! ^^
fico feliz pelo 'presente'
hehehe

logo mais farei tudo que deve ser feito! (linkar e publicar, etc)

fiquei muito contente!
muito obrigado!

Lu, anda! disse...

Nossa, que blog massa! Acho que eu tou sem palavras...
tá linkado!

Carol disse...

Nossa, que texto lindo! Quanto sentimento... amei. E me identifiquei bastante. Depois vou voltar com calma aqui e fuçar seus textos [= Me identifiquei com o pouco que li.
Beijo

Jéssica disse...

Se tivesse tido amor desde o começo, como seria ela?



Ruim demais saber que ainda tem gente que aposta nesse "não se leve a sério".

;*
adoro aqui. E ei, obrigada pelo selo, mas não tinha visto que cê tinha passado pra mim também. Acho que foi porque fiquei uns dias fora daqui. Me desculpa ok? próx post eu comento sobre isso, se eu me lembrar. Enfim, brigadona assim mesmo! :D

;) disse...

Teexto liiindo!!!
*.*
e a foto, é perfeita!!


Beeeeijos


;***

Thiago Augusto" disse...

Aiiii, a dor do amor. :\

disse...

Abra os olhos menina linda, há SEMPRE amor no fim.

A gente não pode cansar. Não de amar.

;)

Beijo

Fabíola Amaral disse...

Muito gostoso de ler seu texto! Mas a vida é para ser arriscada, vivida meio assim sem jeito mesmo... com medo... Por que o melhor é sentir o frio na barriga, do que ter a vida morna e não sentir nada!

Maria Fernanda disse...

Mais um texto lindo. Mais um texto triste.
Fiquei extasiada com as tuas palavras, que penetraram em mim como perfume de jasmins.
Achei que ela, fosse eu. Mas houve amor.

E a frase, da foto, é de um filme, não é?

Beijo meu *:

*Ná* disse...

A frase é da Clarice Lispector, Fê. Do livro A Hora da Estrela.
Beijinho

Anna disse...

Achei triste esse texto.
O amor é uma coisa deveras complicada, mas no final sempre vale a pena.
Beijos

Srta Diazepan disse...

ai Ná...q triste o texto. E o pior que me enxerguei nele...acho que to precisando de um pouco mai de amor mesmo...

beijos

Ni ... disse...

Uma beleza melancólica que toca a alma...
Lindo teu texto!!

Beijo

Auíri Au disse...

Gostei do blog!!


beijos

disse...

sério que se parece com sua história?!
hahahahaha
conhecidencia flor! =)

a sua tem um final feliz?!?!?!??!

beijão

Hosana Heitz disse...

Lindo. Um pouco triste, mas lindo. É profunto, e engraçado como as vezes algumas frases se encaixam em algumas coisas que acontecem na vida, de verdade.
Abraços!

Rui Carlo disse...

Vim passeando e caí aqui...
gostei do amargor da soda e do doce do guaraná, doa lápis de cor pra pinbtar de alegria a vida, das margaridinhas (sorrisos de maria) edas mulheres deitadas, gostei dar perninhas entortadas no vestidinho e das flores no chão (não pise na fulô)
Vou passear por aqui mais frequentemente, se não te incomodar...
Abraços

Cadinho RoCo disse...

Voltei.
Cadinho RoCo

Ariana disse...

Mto lindo esse texto, parece que vc escreveu foi pra mim!rs
Belas palavras!=)


ps: Tem selinho pra ti la no blog!

Beijão
Bom fim de semana pra ti!

Carol Rodrigues disse...

Nossa!!! Tão lindo quanto triste!
MAs eu tentaria uma terceira vez, quarta, quinta...
Enfim!

Parabéns pelo texto
Toca a alma da gente ;-)

LindaRê disse...

Adorei o texto, principalmente pq ele parece muito comigo.

Bjs~!

Kamilla disse...

"Tinha o lábio partido por causa do vento excessivo do mês de agosto"
Adorei essa sua frase, ficou criativa, bonita e poética!

O Profeta disse...

Fecham-se as janelas de poente
Acenderam-se os luzeiros no céu
A cidade desperta para o arraial
Uma noiva procura o perdido véu

Os acordes da Banda no Coreto
Uma tuba marca o compasso
O clarinete dança na calmaria
O Maestro solta gestos no espaço



Bom fim de semana



Mágico beijo

Booperfly disse...

Oi, amiga!
Td bem?
Tem meme pra vc lá no meu blog!
Bjinhos e boa semana!
Paulinha
http://booperfly.fairy-tales.com.br/

instantes e momentos disse...

lindissimo blog, gostei daqui. Tenha uma bela noite,
Maurizio