11 de ago de 2008

Caçada

Era um acaso que mais parecia caseado. Ela carecia de aplicar aqueles tais conceitos, o senhor sabe. Acontece que ela não sabia realmente o que lhe era precioso, quer dizer, ela até tinha uma idéia, sabe, mas era daquelas idéias doídas, do fundo da alma não aceitar. O que ela queria mesmo era que o coração fosse remediado. Mas por quem? Por ele, é claro.

Ele até que aparentava um cara legal. Bom, bom mesmo é que ela não sabia se era. Talvez fosse. Acho que o problema maior era a negação, o fechamento. É que ele tava fechado pro mundo, sabe? E o mundo dela era se doar. Só que ela só sabia fazer isso a quem lhe estendesse a mão ou abrisse os braços. Ele tava fechado, daquele tipo trancado a sete chaves. Talvez estivesse tentando fazer juz àquilo que resolveram pensar dele, talvez fosse aquilo que pensavam.

Ela já não sabia o que era. Tava perdida, com aqueles traumas de mulher desprezada, ou insultada. O senhor bem sabe como é que fica mulher quando é chamada de puta, não sabe? Fica com aquele bicho na alma trancada, uma leoa faminta esperando a próxima presa desafiar como a primeira fez, e aí ela sabe que não vai ter piedade da caça, vai estraçalhar ao primeiro momento pra não correr o risco de ser desafiada pela terceira vez.

Ele não era a presa da leoa que ela carregava, mas podia se tornar a qualquer momento, era só perceber o passo errado ou comprovar que ele a desafiara.

Resolveu aplicar seus conceitos até que uma das partes provasse o contrário.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
"E de repente eu estava gostando dele, num descomum, gostando ainda mais do que antes, com meu coração nos pés, por pisável; e dele o tempo todo eu tinha gostado. Amor que amei - daí então acreditei. A pois, o que sempre não é assim?"
(João Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas.)

26 comentários:

Nally disse...

Passando para desejar uma boa semana cheia de bons textos como este.

Se cuida e fica com Deus, beijo!
=D

Jôji disse...

Ah, talvez você devesse quebrar os sete cadeados que fecham ele não?

.Ná. disse...

Jôji, só preciso aprender a quebrá-los! Vontade é que não falta. ;)

Lily disse...

grande sertão: veredas...
vc me fez lembrar uma exposição q eu fui sobre o livro!
nossa! fantástico!

bjksss

Rafael Velasquez disse...

eita!

Thefy disse...

Ser desafiada é sempre interessante, pois quando não esperam muito de nós, fica mais fácil superar todas as espectativas...
Bjokas flor, adorei o post

Naraiana Costa disse...

sabe onde me vi??

Ele até que aparentava um cara legal. Bom, bom mesmo é que ela não sabia se era. Talvez fosse. Acho que o problema maior era a negação, o fechamento. É que ele tava fechado pro mundo, sabe? E o mundo dela era se doar. Só que ela só sabia fazer isso a quem lhe estendesse a mão ou abrisse os braços. Ele tava fechado, daquele tipo trancado a sete chaves. Talvez estivesse tentando fazer juz àquilo que resolveram pensar dele, talvez fosse aquilo que pensavam.

Luciana Andrade disse...

Belo texto!

Ju disse...

gostei da citação final... o que sempre não é assim?
=)

Ju disse...

gostei da citação final... o que sempre não é assim?
=)

Antônio J. Xavier disse...

Ahhhh fala sério... existe um cara que não reparou em ti ainda? Pois diz a ele que tem um sergipano que morre de inveja dele!
E... não é bem um questão de paixonar pelo slide... digamos que ele não torna mais fácil a tarefa de não se apaixonar...
hehehehe
e... deixa estar que essas questões do coração se acertam minha querida!
bjinho

Olha só! A frase da vez é minha de novo! Fica me mimando viu? Depois depois... hehehe
bjosssss

LindaRê disse...

A velha história da caça e caçador!

Jéssica disse...

Lindo! Adorei!
Esse negócio de oposto, disposto, guardar leões dentro de si me atrai... é tão intenso e forte!


Grande João Guimarães Rosa! Veredas é clássico!

Ariana disse...

Eu acho q guardo varios leões dentro de mim!rs
E eu bem q preciso aprender a quebrar os cadeados viu!

Belo post!

Beijo

Gabriela Melo disse...

em vários blogs que visitei esses dias encontrei o mesmo tema: amor.

até parece que as pessoas adivinham o tempo exato...

beijão, Ná.

Bruno disse...

Dizem que Veredas é um ótimo livro, mas sabe, néah... Cadê a coragem pra ler??? Harry POtter me chama mais a atenção...

PS: Demorei cinco dias pra perceber que é uma onça de cabeça pra baixo.

Coração remediado. Gostei.

Vanessa disse...

Quando alguem tá fechado, não cabe a nós abrir.
Só a propria pessoa pode se prmitir isso....

Lile disse...

oi, Ná!
Primeiro, parabéns pelo aniversário do Soda!
Segundo, Grande Sertão é um dos livros da minha vida. Amo, de paixão.
Terceiro, tudo é adaptável. O mais certo é que as duas partes se adaptem mais ou mesmo do mesmo "tamanho", se é que deu pra entender.
Bjo

Srta Diazepan disse...

uau...manda brasa!!!!! *rs

beijos

Pitanga disse...

Ná, tu está 100% lindona nas fotos, viu?

Beijos Doces,
Pitanga.

Kamilla disse...

Quando alguém está fechado para o mundo fica dificil conhecer!

Thefy disse...

Pois é flor, o final de semana está chegando..uhuuu...maaass acredita que vou trabalhar..hauahu...ninguém merece...rs
Bjokas

Larissa Tezolin disse...

Olha aonde me encontrei:
Ele até que aparentava um cara legal. Bom, bom mesmo é que ela não sabia se era. Talvez fosse. Acho que o problema maior era a negação, o fechamento. É que ele tava fechado pro mundo, sabe? E o mundo dela era se doar. Só que ela só sabia fazer isso a quem lhe estendesse a mão ou abrisse os braços. Ele tava fechado, daquele tipo trancado a sete chaves. Talvez estivesse tentando fazer juz àquilo que resolveram pensar dele, talvez fosse aquilo que pensavam.
Lembra do meu post anterior? Pois bem, encaixe legal.hehehe

Somos geminianas entao, tbm não abro mão flor...ADOREI seu texto viu? mt mt bom...
bjosss ótimoo findss queridaa!

Huguinho disse...

Acho que ela deve arriscar mesmo para não ficar neurótica, já que gosta tanto dele.

disse...

É incrível esse lugar... Cada vez que venho aqui leio um texto melhor que o outro.

Minha Leoa também anda solta. Vou fazendo força pra colocá-la na jaula. Bicho faminto.

Beijo

Anne Graziele disse...

O texto é perfeito! Lindo!
Mas a citação de Guimarães Rosa é perfeita! Parece que ele está dizendo o que a gente sente...
bjão e parabéns atrasado pelo primeiro aninho do blog!