5 de jul de 2009

Coração em formato de moldura

Esta foto fora um presente do filho mais velho daquela família de quatro pessoas dado à sua mãe às vésperas do seu embarque para a guerra. Aquela senhora sustentava o marido que deixou de trabalhar prematuramente devido a um acidente de trabalho que lhe custou o braço e nenhuma renda na aposentadoria; e ao seu filho mais jovem que sofria de uma doença para a qual nenhum médico, padre ou benzedeira havia dado solução. Era um mal do espírito, dizia.

O jovem soldado sabia dos riscos da sua carreira, mas não queria deixar somente sobre os ombros da mãe o sustento de mais duas bocas. Resolveu ser militar porque era a opção que lhe restava. Além disso, nutria a esperança que um filho no exército traria alguma orgulho ao peito do pai que tanto sofria com o seu próprio destino.

A foto emoldurada era o único registro que aquela senhora preservou de sua família. Dizia que era desta imagem que tirava suas forças, pois tinha a cerrteza de que seu o filho no quadro a acompanhava durante todo o tempo. Seu marido morreu antes mesmo de saber que o filho soldado jamais voltaria das batalhas. Seu filho mais novo a abandonou para encontrar o irmão, segundo ele mesmo contou antes de se jogar na frente de um caminhão. Por isso a senhora, que dantes sustentara o lar passionalmente não atirou aquela fotografia contra o chão quando recebeu a notícia de que seria impossível chorar sobre o corpo de seu filho mais velho, uma vez que recebeu apenas o seu coração em uma caixa. Inexplicavelmente, este teria sido o único orgão que resistiu a explosão que o vitimou. Ela aceitou aquele pedaço de carne com a esperança de que ele ainda estava vivo em algum lugar. E esperaria por ele.

Na noite em que se juntou aos seus, ela estava acariciando a fotografia - como fazia todos os dias -quando acidentalmente deixou que o quadro caísse no chão. E foi sob lágrimas que ajoelhou no chão sem se importar com os cacos de vidro que o acidente provocou e, como que em penitência, descobriu e leu a mensagem que seu filho mais velho havia escrito no verso da fotografia:

Querida Mãe,

Se esta lendo esta mensagem é porque jamais retornei da guerra. Por isso pedi ao fotógrafo que fizesse com que os meus olhos a acompanhassem sempre que olhasse para mim. Eu queria estar sempre junto da senhora, assim como trago toda sua força e carinho dentro de meu coração.

Sempre te amarei.
Seu filho.

Não foi a emoção ou tristeza que levaram a sofrida senhora. Tenho plena certeza de que aceitou partir da vida porque finalmente teve a confirmação de que não precisaria mais esperar por seu amado filho.

8 comentários:

Zenh disse...

Fiquei sem palavras...
o blog eh simplesmente sensacional!
Parabéns!

.Ná. disse...

Menino do céu! É por causa destes teus posts que me orgulho de tê-lo aqui comigo. E não é que casou direitinho. Fiz como você sugeriu. Em "coração em uma caixa", retornei ao meu post antigo...e, embora não tenhamos pensado no mesmo assunto, poderia se encaixar perfeitamente ao contexto. Estou orgulhosa de você. rsrsrs

Beijos

Alessandra disse...

Achei lindo,
me emocionou muito,

Voltarei mais vezes aqui!

Patrícia disse...

Tão forte...

Jéssica disse...

Lindo, lindo, lindo, lindo, lindo, mil vezes lindo!

Amei, adorei, sério, sério, caramba, quase chorei, lindo, demais, perfeito, ai, amei, amei, amei ;~~ ***-****

;* ;~~ *-*

Jéssica disse...

É a primeira vez que alguém consegue interpretar exatamente do jeito que eu pensava que seria com algum texto meu. Toda vez eu escrevia achando que alguém algum dia ia meio que "responder" ou dar uma continuação, ou querer saber mais sobre o texto. Fora os elogios, seu comentário se sobressaiu diante de todos ali.

Poxa. Eu acho até que vou salvar essa resposta e publicar depois. Será que posso, ou você prefere alongá-la mais, ou fazer alguma edição? Se quiser pode até postar aqui, como resposta, e eu faço o mesmo no meu.

Caramba, eu posso mesmo estar sendo precipitada, mas... foi como se descobrissem algo que eu sempre quis que acontecesse. Sensacional! Caramba... :~

Enfim, obrigada, mil vezes obrigada! :D

;*

Huguinho disse...

Fenomenal!!!! Tem uma simplicidade e uma clareza fantástica que atingiu meu emocional.

Cristal - a louca. disse...

Tipos... cê tá viva???

Beijundas ^^