16 de nov de 2007

E foi o princípio do fim.

As coisas poderiam ser mais simples. Não mais fáceis, apenas mais simples. Por que nem tudo que é simples, é fácil. Só um pouco, mas não é. A vida é um jogo. Eu detesto jogos, mas adoro vivier. A felicidade é simples, mas não é fácil. (E quanta redundância.) Disso eu tenho certeza. E quando tudo está em jogo, devemos reprogramar a próxima tática. Foi isso que aconteceu. Um novo jogo. Não adianta apertar, algumas pessoas espanam. E eu sou uma delas. Como eu gostaria de não ser uma pobre mortal em busca da felicidade!

2 comentários:

Tititi disse...

Questões que o seu post me levantou: Será que as coisas é que não são simples? Ou será que nós é que não somos, ou a maneira que vemos é que não é? Redundâncias? A vida é cheia delas! Anyway, boa sorte na sua busca! :)

Bruno disse...

Adorei esta parte do post

A vida é um jogo. Eu detesto jogos, mas adoro vivier.