13 de mar de 2010

Cinderella Desencantada

Independente de nossas feridas, de nossa história, nós, mulheres, devemos manter a dignidade.

Estamos habituadas a viver procurando o "cara perfeito". Por esse motivo, entramos em inúmeras roubadas. Deixamos com que os inescrupulosos desempenhem o papel e, ao final da cegueira, infelizmente, as máscaras caem, o instinto fala mais alto e ficamos, mais uma vez, decepcionadas.

Após sofrermos algumas boas decepções, passamos a querer agir como homens, esquecendo alguns valores femininos que foram plantados através dos séculos. Afinal, se eles podem por que nós não podemos?

A resposta pode não agradar, mas é simples e verdadeira: vivemos num mundo machista. Extremamente machista. Embora sejam tempos modernos, o mundo ainda sustenta algumas antigas concepções, inclusive as mulheres que o habitam. E comprovo este fato fazendo a seguinte pergunta: O que você diria de uma mulher que aos 40 anos não se casou, não teve filhos e vive mal-humorada? Apenas pense em sua resposta. Isso comprovará a minha afirmação sobre o mundo ser machista.

Mesmo lutando por direitos iguais e, muitas vezes, sustentando uma família, mulheres não devem perder a delicadeza, a elegância e a dignidade. Não é porque fomos feridas que temos que ferir. E não precisamos, inclusive, gastar milhares de palavras e mensagens de texto para todos os contatos masculinos de nossa agenda.

É vergonhoso ver uma mulher mandar várias mensagens para homens diferentes na mesma noite e ficar esperando a resposta.

Quer dizer então que qualquer um pode ser o cara perfeito? Quer dizer que ele não precisa se esforçar e ter bons argumentos para te chamar para sair? Ou seja, ele simplesmente responde a sua mensagem e consegue o que quer?

É por isso que não vemos mais romances bonitos, a não ser no cinema. Nós não esperamos que eles se interessem e planejem um programa para nos surpreendermos. Na verdade, nem existe um primeiro encontro atualmente. Combinamos de nos encontrarmos em lugares nada pessoais, abarrotados de pessoas e, se rolar, rolou!

Então, no dia seguinte, engatilhamos o celular e disparamos mais mensagens de texto noite adentro.

4 comentários:

Anônimo disse...

Tudo na vida comporta um ônus. Tudo tem um outro lado, assim como a Lua.

As escolhas, tendo por esteio determinados valores,e, neste caso, relativamente à estética da vida, tem seu resultado.

Esse resgate de dignidade é falacioso, afinal, o real querer não se importa com convenções sociais, códigos de conduta ou qualquer óbice estúpido.

O produto (o resultado) é esse que se vê (lê): baboseira.
O que somos é, em certa medida, igual ao que atingimos.

Quem é casca, acha casca. O raciocínio inverso vale também.

Em suma, maior parte da pessoas é realmente desinteressante e superficial e, assim, qualquer tentativa de argumentar contra é puro sofisma.

Vanessa M. disse...

Olha, Ná, é aquela coisa, a mulher quer se comparar com os homens. E eu penso: mulher nunca vai ser igual ao homem, não adianta tentar.
é bacana quando a gente tenta ter muitos direitos iguais a eles, querer profissões iguais, mas querer se igualar até nas coisas ruins? isso pra mim é demais, é sujo, é pequeno. ( isso que tô escrevendo agora me deu luz para um próximo post. aguarde. hahah)
A gente tem que dá o melhor de nós e existir o melhor. Manter a dignidade sim, querer um cara que saiba viver um relacionamento sério. Que história é essa que as mulheres inventaram de estarem disponiveis no mercado? não sou produto.
Se as mulheres não aceitassem tão pouco como vejo algumas fazendo... elas, nós, teríamos muito mais.

Beijoo

Lólli disse...

Nata.. adoro seus textos. sou fã! =)

casa disse...

a controversas...pense na reciroca disto tudo que falou...se fosse um Homem escrevendo isto...oq acharia??? tanto faz se Homem ou Mulher...no exemplo que usou da mulher de 40 anos, não é o fato de ser muçher que a condena mais sim por andar mal-humorada...e se fosse um Homem de 40 anos que não casou não tem filho e anda mal-humorado..o q vc pensa dele???? viu as coisas não são assim...tão machistas...e sobre romaces...sim temos romaces mas são outros tempos...mas o gosto de o coração bater forte a mão ficar molhada é o mesmo de antigamente....